Devemos incluir o plano em Previdência Privada na Carteira de Investimentos?

Devemos incluir o plano em Previdência Privada na Carteira de Investimentos?

Iniciar a nossa participação na blogosfera financeira tem sido muito interessante. Além de estar mais atento às atualizações dos blogs que acompanho, passei a pensar ainda mais na nossa independência financeira.

Nos últimos dias uma pergunta está martelando aqui:

Devo considerar os investimentos em previdência privada fechada na carteira?

Antes de iniciar o blog eu raramente consultava o saldo da previdência. Na minha cabeça esses valores só seriam utilizados daqui a 30-35 anos e não fazia sentido algum procurar saber disso, já que os valores são descontados automaticamente e para cada R$1, a empresa deposita mais R$ 1.

Como comentei no primeiro post, apesar de manter uma vida financeira equilibrada e sem dívidas, nunca havíamos nos proposto metas audaciosas, para aproveitar essa fase de baixo custo de vida, e renda relativamente boa.

Agora, vamos ao pensamento financeiro…

Ponto 1:

A decisão de aderir ao plano de previdência foi nossa, e decidimos investir parte do nosso salário nisso. Ou seja, estarmos no plano é uma decisão de investimento e deve ser considerado.

Ponto 2:
Atualmente, nossa carteira de investimentos financeiros é de R$ 515.000,00, sendo R$ 363.000,00 em previdência e o restante poupança, debêntures e fundos, como citado no fechamento de outubro.

Ponto 3:
Se a independência financeira chegar muito antes, posso não precisar trabalhar mais 33 anos, até chegar aos 65, para sacar o dinheiro da previdência privada. Então, “juntando as forças” do aporte da previdência com nossos aportes mensais, podemos atingir a desejada IF muito mais cedo e estarmos livres para não “precisar” mais trabalhar.

Vamos às contas:

A) Aporte Mensal em Previdência do casal: R$ 8.000,00 (Considera valor aplicado + patrocinadora)
B) Aporte Mensal Extra: R$ 10.000,00
C) Prazo de 60 meses.

515.000 + 18k mensais por 60m e rentabilidade de 0,5a.m.%: R$ 1.950.518,38 !!!!

Nessa conta, atingiríamos nosso primeiro milhão em 23 meses!!

Pode não ser o suficiente para um casal se aposentar, mas é um baita passo nessa direção, com uma dose extra de tranquilidade até o objetivo final, não acham?

O que acham dessa estratégia?

Abs

IA2



2 Comments

Olá Investidor a 2,

Eu não conheço como funciona a previdência privada fechada. A minha dúvida é :De pois de 60 meses e com quase 2 milhões de reais em ativos, você já pode viver dos rendimentos da previdência fechada? E se sair da empresa? E se desejar sacar esses valores? E se desejar influenciar a estratégia de investimento do fundo?

Exemplo: Sou funcionário público estadual e ao consultar o extrato de contribuições eu possuo atualmente R$ 722K em contribuição, sendo R$ 311K que foi aplicado por mim e R$ 411K que foi a parte do Estado. Atualmente eu não posso sacar, não posso escolher como investir e não posso deixar de aplicar compulsoriamente nesta previdência. Além disso, só posso usufruir a renda desse montante depois dos 60 anos segundo as regras atuais (podendo chegar a 65 anos em breve).

No meu caso em particular, eu considero que este valor não existe porque eu não tenho gestão sobre ele, ou seja, eu vejo como um seguro e não como um investimento.

Grande Abraço.

Reply

Ola O Aportador, beleza?
As dúvidas que você comentou são todas muito pertinentes.
Vou comentar um pouco sobre o raciocínio e tentar te responder.
a) 2 milhões serão suficientes? Provavelmente não, pois somos um casal relativamente jovem (28-32).
b) No meu caso, se sair da empresa posso sacar 100% do que apliquei + 100 do que a empresa depositou + rentabilidade. Se não quiser sacar posso fazer portabilidade para qualquer outra previdência. Ou seja, a condição para ter acesso ao dinheiro é o fim do contrato de trabalho com a empresa.
c) sobre influenciar a estratégia de investimentos, esse é realmente uma característica negativa, inclusive há risco nisso…

Pensando nesses pontos, mais a tributação pela tabela regressiva, como qualquer outro plano de previdência, para o meu caso a previdência é mais do que um “seguro”, já que poderei ter acesso ao recurso antes dos 60-65 anos, condicionado ao encerramento do contrato de trabalho. Já pensou, se a reforma da previdência por aprovada, trabalhando em condições atuais eu poderei me aposentar aos 65 anos, com exatos 46 anos de trabalho. haja saúde! rss

Então, a possibilidade de encerrar o contrato de trabalho daqui 10 ou 15 anos é algo a se considerar, desde que os valores investidos sejam suficientes para uma vida tranquila, concorda?

Como cada plano de previdência tem o seu regulamento próprio, sugiro analisar o seu, pois pode ser que você também tenha o mesmo direito, ou algo próximo disso.
É claro que deixar um cargo público ou sair de uma empresa estatal, como é o meu caso, precisa ser algo calculado e planejado, para não arrepender depois, rss

Valeu pelo comentário. muito pertinente para o assunto que tratamos!
Abs
IA2

Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*
*
*